segunda-feira, 11 de junho de 2012

ESTUDO DE CASO





Leia a síntese do Estudo de Caso, abaixo.
Caso A:
Elisa tem 5 anos de idade, matriculada e frequente na educação infantil. Foi avaliada e diagnosticada clinicamente como "alto risco neurlógico".
A criança nasceu de parto cesário, gestão normal, peso de 3.000 gramas e apresentou APGAR neurológico (1m: 1, 5min: 2). Mãe com óbito nos últimos dias da gestação. A criança foi adotada e vive em ambiente normal; caminhou aos 18 meses e iniciou a articulação das palavras no início do primeiro ano de vida, por volta dos 13 meses.
Sua vida escolar teve início aos 3 anos e meio, mas apresenta rendimento escolar abaixo do esperado para sua idade. A avaliação motora apresentou resultado "normal médio", com atraso motor de 8 meses em relação à idade cronológica, dificuldades na motricidade global e principalmente na coordenação motora fina, embora apresente uma conduta escolar normal e lateralidade não estruturada.
A partir dos estudos realizados na disciplina, analise o Caso apresentado e comente as estratégias psicopedagógicas que deverão ser adotadas pelo Psicopedagogo Institucional e pelo Psicopedagogo Clínico no estabelecimento de seu plano de trabalho para com essa situação ou caso.

10 comentários:

  1. Trabalhar com crianças que nos apresentam alguma dificuldade requer muita afetividade, perspicácia, alegria, calma e paciência, tudo isso exige do educador uma postura, uma atitude que vem de dentro da pessoa, no sentido psicanalítico, aceitação, firmeza, tentando ajudar a conduzir a criança, com participação ativa dos pais a ir vencendo pequenos obstáculos, dentro do processo de desenvolvimento, sempre através de tomadas de consciência de si mesma, do que faz de tudo e todos que estão à sua volta.
    Na sua função preventiva, cabe ao psicopedagogo:
    - Detectar possíveis perturbações no processo de aprendizagem;
    - Participar da dinâmica das relações da comunidade educativa a fim de favorecer o processo de integração e troca;
    - Realizar processo de orientação educacional, vocacional e ocupacional, tanto na forma individual quanto em grupo.
    Avaliar o processo metodológico na escola como um todo e orientar novas metodologias de acordo com as características dos indivíduos e do grupo;
    - Acompanhando a relação professor e aluno, aluno e aluno;
    - Acompanhar o aluno que vem de outra escola, sugerindo atividades, buscando estratégias e apoio e quando necessários.

    Uma atividade a ser sugerida é a música na Educação: A música ajuda ao desenvolvimento do raciocínio lógico na medida em que apresenta padrões que supõem regras lógicas. Contribui ainda para a criação de noções matemáticas quando, ludicamente, os instrumentos são organizados e seridados pelo seu tamanho (grande, pequeno) e altura do som (grave ou agudo); quando se distingue o andamento (lento ou rápido), a duração (muito ou pouco tempo), a intensidade do som (forte fraco). Se instrumentos de percussão simples podem ser construídos pelas crianças relacionando-se com o domínio da atividade plástica, estas poderão também utlizar instrumentos musicais mais complexos e com outras possibilidades - jogos de sinos, triângulos, pandeiretas, xilofones, etc. - que deverão ter grande qualidade. Outros instrumentos poderão ser usados pelo educador como a flauta, a guitarra...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com Mariléa, portanto venho propor algumas atividades para solucionar as dificuldades de coordenação motora fina e de lateralidade de Elisa onde podemos encontra disponivel nos seguites setes,
      Coordenação motora
      http://2.bp.blogspot.com/-sudf7ruB4GA/TZ22YiG9lI/AAAAAAAAC5w/SjIk7Wd5Ep8/s1600/visomotricidade+atividades+ensinar-aprender058.jpg

      Lateralidade http://meustrabalhospedagogicos.blogspot.com.br/2011/02/atividades-para-trabalhar-lateralidade.html

      Tais atividades tras exercicios onde Elisa vai cobrir e pintar para sanar sua dificuldade motora fina e de lateralidades propomos exercicios onde ela vai estar diante de varias figura iguais e deverar observar bem em que direção se encontra a figura diferente.

      Sandra Batista da Silva

      Excluir
    2. Diante do caso podemos observar que a criança em questão apresenta um problema neurologigo frente ao relato da mesma, cabe ao psicopedagogo institucional observar, analisar os fatos a fim de colher informações junto ao professor e a família, para que ele possa estar ajudando esse aluno, pode-se perceber também que essa entrou na escola depois dos três anos de idade, no qual se sabe que quanto antes a criança for estimulada melhor será o seu aprendizado.Portanto cabe ao psicopedagogo institucional diagnosticar os possíveis problemas que estar prejudicando o processo de ensino aprendizagem desse aluno e encaminha-lo para os profissionais ( psicopedagogo, psicologo, fonoaudiólogo, etc) conversar com os pais para fornecer e obter informações necessária que ajude o seu desenvolvimento.O psicopedagogo clinico irá reavaliar esse cliente para isso ele usará instrumentos como: provas operatórias,provas projetivas, anamnese, dentre outras. No caso de Elisa como ela apresenta uma dificuldade de lateralização, o psicopedagogo pode trabalhar a lateralidade, com jogos de percepção de esquerda direita em cima em baixo, brinquedos educativos, e outros que favoreça essa aprendizagem, trabalhando a coordenação motora fina pode-se trabalhar com alinhavos, seguir o caminho com um lápis, e outros brinquedos educativos que desenvolva essas habilidades

      Excluir
  2. Onilda Viana de O. Nunes15 de junho de 2012 15:26

    A coordenação motora da criança é estimulada desde cedo, mesmo que involuntariamente ou seja mesmo que os pais não tenham consciência. Através do movimento com as mãozinhas para pegar objeto,os primeiros passos, rastejar no tapete, tudo isso engloba o desenvolvimento da coordenação motora. O psicopedagogo pode ajudar a elevar a auto-estima valorizando suas atividades, descobrindo qual o seu processo de aprendizagem através de instrumentos que ajudarão em seu atendimento.Concordo com a Mariléa que a música tem grande importância na educação da criança. Muitos estudos científicos tem comprovado os benefícios da música para o desenvolvimento da criança. Através da música a criança desenvolve habilidades psicomotores, e o melhor, aguça a sensibilidade, a criança torna-se um ser mais sensível no âmbito da percepção sensorial.

    ResponderExcluir
  3. Diante do caso podemos observar que a criança em questão apresenta um problema neurologigo frente ao relato da mesma, cabe ao psicopedagogo institucional observar, analisar os fatos a fim de colher informações junto ao professor e a família, para que ele possa estar ajudando esse aluno, pode-se perceber também que essa entrou na escola depois dos três anos de idade, no qual se sabe que quanto antes a criança for estimulada melhor será o seu aprendizado.Portanto cabe ao psicopedagogo institucional diagnosticar os possíveis problemas que estar prejudicando o processo de ensino aprendizagem desse aluno e encaminha-lo para os profissionais ( psicopedagogo, psicologo, fonoaudiólogo, etc) conversar com os pais para fornecer e obter informações necessária que ajude o seu desenvolvimento.O psicopedagogo clinico irá reavaliar esse cliente para isso ele usará instrumentos como: provas operatórias,provas projetivas, anamnese, dentre outras. No caso de Elisa como ela apresenta uma dificuldade de lateralização, o psicopedagogo pode trabalhar a lateralidade, com jogos de percepção de esquerda direita em cima em baixo, brinquedos educativos, e outros que favoreça essa aprendizagem, trabalhando a coordenação motora fina pode-se trabalhar com alinhavos, seguir o caminho com um lápis, e outros brinquedos educativos que desenvolva essas habilidades

    ResponderExcluir
  4. Diante do relato apresentado, percebe-se a necessidade de um atendimento do profissional psicopedagogo clinico como também do psicopedagogo institucional.Os profissionais irão trabalhar de forma diferenciada, o clinico irá avaliar a criança em todos os seus aspectos motores, psicomotores e no que se refere ao processo de aprendizagem da criança. Os instrumentos de investigação para uma futura intervenção. será anamnese, provas operatórias,lateralidade, projetivas e jogos educativos que ele pode utilizar para o diagnótico. Mas, como a Eliza já foi diagnosticada, o Psicopedagogo irá trabalhar os transtornos já existente como a lateralização, a motricidade global e fina, o referido profissional irá desenvolver atividades educativas como jogos e música que trabalhe a percepção da esquerda e a direita, a partir do seu corpo como também do meio externo, atividades que promova a movimentação do corpo com um todo, para o desenvolvimento motor do corpo. Trabalhar a coordenação motora fina através de traçados e desenhos pontilhados e outros que viabilize essa habilidade.
    O psicopedagogo Institucional a partir do diagnóstico do psicopedagogo clinico , ele irá desenvolver um trabalho conjunto com a escola, professor e família, para desenvolver um processo investigativo das dificuldades de aprendizagem que a criança possa ter, e depois trabalhar as dificuldades do discente, a partir de novas sugestões metodológicas para o professor, novos estímulos a serem utilizados em sala de aula, como também em casa,( a partir de jogos educativos,atividades motoras ( atividades físicas especificas a necessidade do discente, para que a criança, possa adquirir aos poucos as habilidades favoráveis ao processo de ensino e aprendizagem. A também o Auxílio à equipe escolar na manutenção da prevenção de futuras dificuldades de ensino e aprendizagem.
    Francisca Naiana da Silva Rodrigues

    ResponderExcluir
  5. Diante dos fatos relatados,o profissional psicopedagogo institucional e clínico,deverão realizar um trabalho conjunto.Pois,terão que colher informações da família ou seja será realizado uma anamnese,do âmbito escolar,familiar, para assim trabalharem de forma significativa nas dificuldades e transtornos de questão motoras,psicomotoras e no seu processo de ensino e aprendizagem.Especificamente,deve ser trabalhado com a Eliza,a questão de lateralidade, coordenação motora fina,jogos,questões seriadas,lento e rápido,esquerda e direita.Dessa maneira, estas atividades sendo realizadas,estarão sendo o auxilio para o seu desenvolvimento.

    FRANCISCA NAIARA DA SILVA RODRIGUES

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enrriquecendo sua fala Naiara apresento esse link:
      http://brincarecrescercomapsicomotricidade.blogspot.com.br/2011/10/actividades-psicomotoras-equilibrio.html
      Onde venho apresenta um blog de uma Psicomotricista Portuguesa que visa Atividades Psicomotoras:que trabalhao equilíbrio, a lateralidade, a praxia global e praxia fina.
      Acredito que os profissionais Psicopedagogo Clínico e Institucional devem trabalhar em conjunto, pois assim teremos conclusões precisas do caso de Eliza. Esse Blog apresentado trás atividades que ajudaria essa criança.

      Excluir
  6. Após dias tentando entender o caso de Elisa,arrisco-me a afirmar que esta criança precisa ser trabalhada em aspectos psicomotores. Para tanto seria importante procurar profissionais que desenvolva trabalhos relacionados à Psicomotricidade para ajudá-la. Talvez ela esteja com problemas neurológicos, o psicopedagogo institucional deve observar criteriosamente os fatos para poder obter melhores informações e em parceria com a família e os professores, possa está ajudando essa criança a melhorar sua aprendizagem. É importante enfatizar também a idade que a mesma entrou na escola, apesar de que começar a freqüentar a escola aos 3 anos não se pode considerar tardia a ponto de desencadear transtornos,mas o quanto antes a criança for estimulada melhor será o desenvolvimento do processo de aprendizagem.É fundamental que essa criança seja encaminhada o quanto antes para os profissionais ( psicopedagogo, psicólogo, fonoaudiólogo, etc.) para que os mesmos iniciem com colaboração dos pais fornecendo informações necessária, um processo de tratamento que ajude o seu desenvolvimento da mesma.O psicopedagogo clinico irá reavaliar esse criança para isso ele usará instrumentos como: provas operatórias,provas projetivas, anamnese, dentre outras. Neste caso Elisa está apresentando uma dificuldade de lateralização também, para tentar resolver esse problema, o psicopedagogo pode trabalhar a lateralidade, através do brincar utilizando jogos direcionados que trabalhe a percepção de lateralidade envolvendo os lados: esquerdo e direito da criança em cima em baixo e também brinquedos educativos, e outros que estimule a aprendizagem, é fundamental que esteja trabalhando a coordenação motora fina através de atividades direcionadas e brinquedos educativos que ajude a desenvolver as diversas habilidades da criança.Maria Aurineide Silva.

    ResponderExcluir
  7. O psicopedagogo deve trabalhar a coordenação motora onde facilite o trabalho da mão no ato de escrever, realizar trabalhos com figuras geometricas em forma de gravuras,desenvolver brincadeiras que trabalha o equilibrio. Exemplo: copos descartáveis um sobre o outros que forme uma torre. O clinico trabalha jogos de encaixe de peças sendo assim ajudar a criança em processo de construção atividade que identifique sua dificuldade. Andréia Denise

    ResponderExcluir